Partes do meu mundo

Encontrar em Horas Mágicas

sábado, 19 de março de 2011

Dicas Preciosas


Informações Básicas
(1) Antes de tricotar

Vocês deverão estar familiarizadas com tudo que irão precisar:- material e fios.
Também deverão entender o vocabulário técnico e aprender a fazer uma amostra para evitar erros nas proporções e decepções quanto à aparência do ponto escolhido e também ler a explicação desse ponto.
Recomenda-se que a receita seja lida antes de iniciada a sua confecção.

- Desenho do Molde - Em algumas receitas você irá encontrar o desenho do molde. Ele já traz todas as indicações que no método tradicional são dadas na receita:- o nº de pontos que se deve montar, o nº das agulhas, cores de fios e pontos usados em cada fase do trabalho.
O ponto, em si, pode ser explicado na parte escrita da receita ou ser representado por um gráfico.
Para seguir as indicações do molde, comece pela parte de baixo do desenho (sentido em que a peça é executada normalmente).
Os aumentos e diminuições também são indicados no molde.

- Gráficos - Alguns pontos se tornam mais fáceis quando são representados por gráficos. Ele indica o nº de pontos do “motivo” e os pontos de repetição (indicados por **).
Por exemplo: se um motivo tem 5 pontos x 14 carreiras, deve ser repetido no sentido horizontal (começando pelo 1º ponto da direita), tantas vezes quantas for possível com o nº de pontos montado.Nas carreiras de volta, seguir o gráfico da esquerda para a direita.
Terminada a 14ª carreira (no caso do exemplo) voltar à 1ª carreira do motivo.
Nos gráficos, os pontos são representados como são vistos no direito do trabalho.
Ex.: = as carreiras do avesso, no ponto meia, são trabalhadas em tricô, embora no gráfico apareçam em meia.
Na maioria das vezes, as carreiras do avesso acompanham o ponto, isto é, tricô sobre tricô e meia sobre meia.
Os gráficos são sempre acompanhados de legendas – onde são dados os símbolos usados nos mesmos e sua significação.


2) Material
estojo para agulhas
pares de agulhas com diâmetros (nºs) variados
agulhas de 2 pontas (ou circulares) = usadas para tricotar em círculos (decotes, meias, luvas, etc.)
agulha auxiliar = é uma ag. curta com 2 pontas, na qual são colocados os pontos à espera para se fazer cordas, tranças e pontos cruzados.
alfinete de segurança auxiliar = é um grande alfinete no qual se colocam os pontos à espera, quando as diferentes partes do trabalho devem ser executadas uma após a outra.
fita métrica
novelos de lã ou linha

3) Dicionário do Tricô

Acrescentar 1 ponto = significa aumentar 1 ponto
Alternadamente = termo usado quando para aumentar ou diminuir pontos, alternando uma e outra forma para que o trabalho fique uniforme. Por exemplo: diminuir alternadamente , cada 4 ou 6 carreiras.
Amostra = feita em tricô com o nº de agulhas, ponto e fio escolhido para servir de base para a receita do trabalho a ser tricotado.
Borda = ponto de borda significa o 1º e o último ponto que está na agulha do trabalho que se está tricotando, formando uma ourela. Esse ponto NÃO deve ser destacado dos outros e sim tricotado igual ao seguinte no início e igual ao anterior no final da carreira.
Ele não é contado como a quantidade de pontos que a receita indicada.
Carreira = representa os pontos reunidos numa só agulha. No tricô circular, a carreira é chamada de “volta”.
Carreiras de ida e volta = são carreiras tricotadas no direito ou avesso (indo e voltando), com agulhas de tricô retas (normais), flexíveis ou circulares.
Cruzar = os pontos são cruzados quando deseja-se obter um efeito mais decorativo.
Juntos = às vezes é necessário tricotar vários pontos ao mesmo tempo (juntos) para se obter diminuições ou pontos fantasias.
Ponto divisível por... ou ponto múltiplo de... = indica no início da receita a quantidade de pontos que formam um motivo do ponto. Com esta informação é possível decidir quantos pontos deverão deixar para o quadril e formar motivos inteiros do ponto escolhido.
Repetir de * a * = geralmente seguido pelo nº de vezes que precisa-se recomeçar a trabalhar seguindo as indicações delimitadas pelos asteriscos.
Sinal de Repetição Suplementar ( º º ) = usado cada vez que um grupo idêntico de pontos, dispostos do mesmo modo, deve ser repetido várias vezes durante a carreira , entre as explicações entre os 2 asteriscos (*)
Voltar em * = significa que precisa-se recomeçar a operação a partir do asterisco (*).

4) Amostra do Trabalho

Execute-a com o nº de pontos e de carreiras indicados na receita e verifique as medidas.
Ao medir veja se o trabalho se encontra naturalmente posicionado, sem que esteja esticado ou franzido.
Se obteve uma amostra menor, seu ponto é apertado = use agulhas mais grossas.
Se obteve uma amostra maior, seu ponto é frouxo = use agulhas mais finas.

5) Técnicas de Tricotar

Abaixo, informações usadas nas receitas (Principais Pontos)

Ponto Fantasia = pontos “decorativos” usando os pontos principais (m., laç., t. )
Ponto Meia = dir. em meia / av. em tricô
Ponto Tricô = dir. em tricô / av. em meia
Cordões de Tricô = dir. e av. em meia (também chamado Ponto Musgo)
Barra 1/1 = * 1 m. , 1 t.* e nas carr. seg. trab. os pontos como se apresentam
Barra 2/2/ = * 2m. , 2 t.* e nas carr. seg. trab. os pontos como se apresentam
Passa Fitas = * 2 p.j. em m., 1 laç. *
Ponto Deslizado = tire o p. sem fazer de uma ag. para outra.
Mate Simples = deslize 1 p. em m., trab. 1 m. , e derrube o p. deslizado sobre o p. recém trabalhado.
Mate Duplo = deslize 2 p.j. em m. , trab. 1 m. , e derrube os p.deslizados sobre o p.recém trabalhado
Ponto Jersey = é usado em detalhes bordados e/ou para completar o jacquard. Consiste em cobrir o ponto meia.

6) Abreviações

Para facilitar o acompanhamento das explicações, normalmente usam-se abreviações.
Veja abaixo:

acomp. = acompanhe (ando)
ag. = agulha (s)
alt. = altura (s)
ant. = anterior (es)
aum. = aumente (ando)
aux. = auxiliar
av. = avesso
bl. = bloco
carr. = carreira (s)
cm. = centímetro (s)
comp. = comprimento
cont. = continue (ando)
dim. = diminuição (ções), (indo)
distr. = distribua (idos), (indo)
dir. = direito (a)
div. = divida (indo)
esq. = esquerda (o)
j. = junto (s)
laç. = laçada
larg. = largura
lev. = levante (ando)
m. = meia
nº = número (s)
obs. = observação (ando)
p. = ponto
p.f. = ponto fantasia
p.j. = ponto (s) junto (s)
p.m. = ponto meia
p.t. = ponto tricô
rem. = remate (ando)
sp = espaço
seg. = seguinte (s)
separ. = separado (a), (amente)
simult. = simultaneamente
t. = tricô
term. = termine (ando)
trab. = trabalho (e), (ando)
v. = vez (es)
* = sinal de repetição
( ) = repetir o que está dentro do parênteses quantas vezes indicadas.
[ ] = indicada quantidades e/ou indicações de tamanhos diferentes na mesma receita.

7) Dicas
Abaixo, algumas “dicas” para facilitar seu (s) trabalho(s).

- Nos trabalhos executados com lã grossa, para evitar uma costura muito “evidente” sobre os ombros, basta NÃO rematar os pontos. Deve-se segura-los sobre uma agulha e, quando as costas e as frentes estiverem terminadas, una-as numa só agulha. Como??? Vá alternando os pontos (frente e costas), e depois remate-os trabalhando juntos 1 ponto das costas e 1 ponto da frente.

- Para evitar que as bordas e punhos de uma peça trabalhada em barra com a lã “mohair” e uma agulha muito grossa “estiquem”, uma ao fio da lã 1 fio de algodão forte (fio de costura), na mesma cor. Se quiser dar maior consistência, mantenha o fio de algodão durante todo o trabalho.

- Para se obter mangas perfeitamente iguais, basta tricotar juntas na mesma agulha. Montar cada manga separadamente, usando 1 novelo para cada uma. Em seguida, trabalhar as duas mangas do mesmo modo: aumentos, diminuições, cavas, etc. Este método é bastante útil pois o trabalho terá na mesma altura os aumentos, cavas e diminuições.

- Para dar maior elasticidade às bordas tricotadas em barra, basta montar os pontos com agulha que será feito o trabalho (ex. ag. 5). Trabalhar em seguida a barra (1/1 ou 2/2/...) com agulhas mais finas (ex. ag. 4). Depois, voltar à agulha de montagem (ag. 5) para execução do trabalho.

- Quando se deve trabalhar com o fio duplo, triplo ou quádruplo, em vez de preparar o novelo, é preferível tricotar ao mesmo tempo com 2, 3 ou 4 novelos, pois assim, a tensão se regulará por igual durante o trabalho.

- Para dar maior elasticidade a uma gola alta que será virada, basta trabalhar as 2 últimas carreiras com agulha de 1 nº superior (ex. ag. 7) ao da usada para execução do resto do trabalho (ex. ag. 6).

Fonte: hobbyearte
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Recent Visitors